"

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Mistério do sumiço do taxista Dedé pode ter sido desvendado

Redação Ednilson DRT-BA : 6200, segunda-feira, agosto 20, 2018 por Ricardo de Souza

A partir do momento em que familiares do taxista José Dantas de Abreu, popularmente conhecido como Dedé da D20 ou Dedé taxista - um dos mais antigos prestadores de serviço de transporte de passageiros por meio de aluguel, com ponto no Terminal Rodoviário de Euclides da Cunha – registraram em 2017, a falta de notícias do chefe da família, depois de tê-la comunicado que faria uma viagem para o povoado de Jenipapo de Cima, no vizinho município de Monte Santo, porém, não retornou para casa e nem deu mais notícias sobre o seu paradeiro -, toda a equipe do Serviço de Inteligência e Investigação da 25ª Coordenadoria de Polícia do Interior (25ª Coorpin), coordenada pelo delegado de Polícia Civil Paulo Jason de Melo Falcão, coordenador regional em Euclides da Cunha, formada pelo delegado Vitor Tenório e os agentes investigadores Raphael Rangel e Moura, passou a desenvolver o trabalho de obter pistas que pudessem levar à elucidação do crime que, somente agora, pode ter chegado ao final, com a prisão de mais uma mulher identificada como Lindiana Cardoso dos Santos.
 
Pistas foram levantadas com informações de colaboradores da Polícia Civil, análise de imagens do sistema de segurança de postos de combustíveis ao longo de rodovias por onde possivelmente Dedé taxista poderia ter trafegado (BA 220-Euclides da Cunha a Monte Santo, BA 120 Rodovia do Sisal - Monte Santo a Serrinha, BR 116/Norte -Santos Dumont, Euclides da Cunha a Pernambuco, BR 235 - Perimetral que liga o Estado de Sergipe a Juazeiro, passando por Jeremoabo, Canudos, Uauá, BR 110/Jeremoabo a Paulo Afonso e BR 423, de Paulo Afonso a Garanhuns, passando por Águas Belas, na região do Agreste Pernambucano), onde nesta cidade foi localizado e apreendido o veículo VW Parati, já vendido para terceiros, que Dedé trabalhava no dia do sequestro.
 
Apesar de muitas cobranças e pressão da família do desaparecido, em busca de solução para o triste e lamentável desaparecimento, inclusive levantando-se suspeitas sobre possíveis problemas de ordem trabalhista com ex-funcionários de uma propriedade rural da família, segundo comentários; entrevistas emocionantes de uma pessoa da família da vítima com apelo na grande mídia televisiva de Salvador, etc., as investigações prosseguiam, com toda a equipe evitando falar sobre o assunto, apesar de estar trabalhando diuturnamente para desvendar o mistério do desaparecido, incluindo-se aí, viagens sigilosas de agentes ao Município de Águas Belas, pois a intuição, característica de quem trabalha com investigação criminal, principalmente, apontava para esta  cidade, distante 383 km de Euclides da Cunha, onde realmente a “ponta do novelo” começa aparecer e a luz do fim do túnel clareava as investigações e aumentava a esperança de que seria questão de mais dia menos dia para se chegar ao assassino e mais alguém envolvido no sequestro seguido de morte do taxista.

Animado, talvez, por um aparente “êxito” no sequestro de Dedé taxista, até então, ainda sem solução, meses depois, o sequestrador e assassino voltou para Euclides da Cunha, onde cometeu mais um crime de latrocínio contra um também taxista que trabalhava no Terminal Rodoviário, de nome Joaquim Vicente dos Reis, um idoso aposentado de 84 anos, que havia sido contratado para transportar um casal até a cidade de Uauá, a cerca de 105 km de Euclides da Cunha; porém, não mais retornou, deixando familiares, amigos e colegas aflitos, buscando informações nas redes sociais, rádios, sites, entre outros, até que o corpo, lamentavelmente, fora encontrado por um agricultor, dentro de uma escavação onde seria construída uma cisterna, em uma propriedade rural próxima ao povoado de Canudos Velho, em avançado estado de decomposição e com as mãos decepadas, segundo o laudo do IML. 
 
Passados 25 dias do sequestro de Joaquim Vicente, em uma rodovia federal no Estado do Piauí, próximo da cidade de Alto Alegre do Piauí, distante cerca de 500km de Euclides da Cunha, um homem que dormia dentro de um veículo VW Parati que se encontrava estacionado à beira de uma rodovia federal, em situação que levantou suspeição por parte de transeuntes, já que a região é rota de entrada e saída de quadrilhas especializadas em roubo a banco e ataque a carro-forte, para o Estado de Pernambuco, fora abordado e preso por uma guarnição da Polícia Militar do Piauí especializada em patrulhamento de fronteira, após verificar a ausência de documentos de uso e porte obrigatórios e, numa consulta ao Sistema Nacional, constatar que o veículo havia sido roubado.

Identificado como Edílson Luís Ferreira, maior de idade, que disse trabalhar como camelô, ao ser interrogado revelou a origem do veículo, com o qual queria ficar, por se tratar de utilitário robusto que atendia às suas necessidades de comerciante. A 25ª Coorpin foi avisada sobre a prisão do suposto proprietário do veículo, uma equipe foi deslocada para Campo Grande do Piauí e recambiou o preso para o Complexo Policial Civil de Euclides da Cunha, onde se encontra encarcerado à disposição da Justiça da Comarca de Euclides da Cunha. A princípio negou ter assassinado o proprietário do veículo, mas depois assumiu a autoria do crime.
 
A coincidência no modo operandi usado no crime do taxista Joaquim Vicente Reis ofereceu dados importantes que foram juntados às investigações sobre o latrocínio de José Dantas de Abreu, que levaram à prisão de Lindiana Cardoso dos Santos, depois de investigações em cumprimento ao mandado de prisão preventiva por crime de latrocínio (roubo seguido de morte) expedido em seu desfavor pelo Juiz da Vara Crime da Comarca de Euclides da Cunha, por solicitação da autoridade da Polícia Civil e Judiciária da 25ª Coorpin, depois de várias diligências investigativas nas cidades de Euclides da Cunha, Uauá, Canudos e Águas Belas - PE.
 
De posse do mandado de prisão preventiva e a exata localização de Lindiana Cardoso dos Santos, as equipes formadas pelos agentes investigadores Raphael Rangel, Moura, com a colaboração dos IPC’s Tourinho (Canudos), Laércio (Uauá), apoio das Guardas Civis Municipais de Euclides da Cunha e Uauá, do delegado de polícia civil Dr Vitor Tenório, titular da 1ª DT em Euclides da Cunha, todos comandados pelo delegado regional Dr. Paulo Jason de Melo Falcão, se dirigiram para o Município de Curaçá, onde na fazenda Parente deram cumprimento ao mandado de prisão e prenderam Lindiana Cardoso dos Santos que, assim como Edilson Luís Ferreira, no interrogatório preliminar negou, por enquanto, desconhecer o paradeiro do corpo de Dedé taxista. 

Assim como o latrocida mentor dos sequestros seguidos de morte das vítimas, Lindiana Cardoso dos Santos se encontra recolhida ao xadrez da carceragem do CPC. O desfecho deste caso alivia parcialmente a dor dos familiares, no tocante à Justiça, porém, o drama continua, agora, para localizar os restos mortais da vítima, para que tenha um sepultamento digno e elucidação completa do crime. Mais um excelente trabalho da Polícia Civil em Euclides da Cunha, sob o comando do DPC coordenador Dr. Paulo Jason.
 
*Texto: José Dilson Pinheiro/edição Jaciel Correia/Site euclidesdacunha.com, com informações e fotos da Polícia Civil.

Comentários: "Mistério do sumiço do taxista Dedé pode ter sido desvendado"

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...