sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Comandante geral da PM diz que polícia não vai abaixar cabeça para o crime organizado

Redação Ednilson DRT-BA : 6200, sexta-feira, fevereiro 10, 2017 por Ricardo de Souza

O coronel disse que a crise da segurança pública que afeta alguns estados do país, é uma situação particular de cada local.
Foto: reprodução
O comandante geral da Polícia Militar da Bahia,  coronel Anselmo Brandão, esteve em Feira de Santana na manhã desta quinta-feira (9), no 1º Batalhão de Ensino, Instrução e Capacitação (Beic) e se reuniu com comandantes dos batalhões e Companhias Independentes das Regiões Leste e da Chapada para avaliar as ações de 2016 e traçar estratégias de trabalho para o ano de 2017.
O comandante aproveitou a oportunidade e comentou sobre a crise na segurança pública que afeta vários estados do país, qual a situação da Bahia, as reivindicações da Polícia Militar e o trabalho de combate ao crime organizado e ao tráfico de drogas.
“Nessa reunião vamos delinear e mostrar para os comandantes das duas regiões a nossa nova plataforma de atuação, principalmente em relação ao crime organizado.Nos últimos meses, final de 2016 e início de 2017, nós tivemos algumas ações ousadas da criminalidade e a gente vai aqui junto com os comandantes informar quais são as medidas que nós iremos adotar e quais já estamos adotando para potencializar esse policiamento mais firme em cima da criminalidade”, afirmou.
O coronel disse que a crise da segurança pública que afeta alguns estados do país, é situação particular de cada local. De acordo com ele, a Bahia encontra-se atualmente em uma situação bastante tranquila e a tropa tem acompanhado as ações oferecidas pelo governo. No entanto, policiais militares reclamam de salários e vale-alimentação defasados e ausência de vale-transporte, entre outros benefícios.
“O governador Rui Costa tem dado uma atenção muito especial para a segurança pública. Tem dialogado conosco, motivado a nossa tropa e demonstrado que pode fazer mais pela nossa tropa com ações efetiva. A segurança pública tem sido prioridade no seu governo e as reivindicações dos policiais que surgiram no final do ano passado estão sendo negociadas”, acrescentou.
Combate ao crime
O comandante geral da PM , observou que graças ao banco de dados e informações na área de inteligência, a polícia tem registrado uma redução em alguns tipos de crimes e também está com um poder muito forte de enfrentamento às quadrilhas que assaltam as instituições bancárias e de repressão ao crime de forma geral. Ele informou que será inaugurada uma base de segurança comunitária em Barreiras e até março outra em Lençóis.
“Estamos adquirindo mais fuzis, estamos abrindo concurso para mais de dois mil policias e então uma resposta como essa já é uma resposta concreta, é algo que vai acontecer. Feira de Santana é a primeira cidade onde nós vamos entrar com força total. E não é só força de polícia é força com instrumentos da legalidade. Ações efetivas com outras esferas do município e com mais operações. O que o coronel Adelmário Xavier vem fazendo hoje em Feira nós queremos potencializar ainda mais.Nós não vamos abaixar cabeça para o crime. Se os criminosos têm armas, nós temos o dobro. Nós vamos entrar duro em cima dessa bandidagem. Não vamos aceitar que facções dominem cidades no nosso estado e em Feira de Santana não vai ser diferente “, salientou.
O coronel Anselmo Brandão, também comentou sobre casos de suicídio de policiais que têm ocorrido em alguns estados do país e também na Bahia. Ele pontuou que na Bahia, o comando geral já está trabalhando há algum tempo para prevenir esses fatos e que cerca de mil policiais estão recebendo orientações específicas sobre o assunto.
Para o comandante, a prevenção do suicídio começa com o cuidado com a tropa e a percepção e atenção dos colegas. “Nós temos que cuidar dos nossos. Quando percebe-se que algum policial está com problemas, buscamos dar todo o apoio e o suporte necessário”, revelou.
Parcerias da PM
Anselmo Brandão também foi questionado sobre a situação da PM em alguns municípios do interior da Bahia e algumas dificuldades enfrentadas em relação ao número de viaturas, abastecimento de veículos e alguns equipamentos. Ele contou que a PM trabalha com um orçamento que às vezes é básico e assim surgem parcerias que contribuem para fortalecer as ações. Dentre as parcerias, ele destacou a atuação da comunidade através do Conselho Comunitário de Segurança.
Acorda Cidade

Comentários: "Comandante geral da PM diz que polícia não vai abaixar cabeça para o crime organizado"

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...